PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

O que fazer se a bateria do carro descarregar completamente?

Conheça os procedimentos e os riscos envolvidos em tentar fazer o carro pegar, especialmente os mais modernos

Imagine o cenário: você sai de casa pela manhã, com os filhos e já atrasado. Entra no carro, fecha as portas, coloca os cintos, vira a chave e... nada! A bateria do carro já era e você não irá a lugar nenhum antes de conseguir que o carro pegue. Existem apólices de seguro que garantem socorro nestes casos, mas, caso a pressa seja muita, eis algumas dicas que permitem vencer uma bateria descarregada.

Prepare-se

Já dizem os manuais dos escoteiros: nada como estar bem preparado para qualquer ocasião. Numa situação dessas, ter cabos de bateria, para fazer o que popularmente se chama de "chupeta". A do carro, gente, sem maldade...

Conheça o seu carro

No mundo ideal, todos os automóveis teriam as peças exatamente nos mesmos lugares. Mas, infelizmente, isso nem sempre é o caso. Por isso, é sempre uma excelente ideia olhar o manual e abrir o capô para descobrir onde estão os vários componentes, especialmente a bateria do carro. Algumas ficam no porta-malas, por uma questão de distribuição de peso. Aprenda a localizá-la, a tirar a capa protetora, se houver, e a identificar os dois polos.

Tenha cuidado ao verificar a bateria do seu carro

Verifique a bateria antes de tentar o que quer que seja. Se a bateria do carro estiver danificada, vazando ou corroída, não vale a pena tentar fazê-lo sozinho. Neste ponto, o melhor será chamar um profissional, que terá de substituí-la. Enquanto este não chega, mantenha quaisquer objetos metálicos ou inflamáveis longe do motor. Retire a chave da ignição.

Como usar os cabos de bateria e fazer a "chupeta"

Carros com muitas centrais eletrônicas, especialmente os mais modernos, demandam um cuidado grande com a parte elétrica. Se não tiver certeza sobre como agir, o melhor é pedir a ajuda de um profissional especializado. Se tiver intimidade com seu carro, e a certeza de que sabe o que está fazendo, o procedimento a seguir, por sua conta e risco, está descrito abaixo:

1. Antes de mais, é necessário encontrar alguém que se prontifique a oferecer um pouco da energia da bateria do seu automóvel. Aquele seu vizinho camarada, por exemplo. Estacione o carro doador levando em conta as localizações das baterias de ambos e a extensão dos cabos. Certifique-se de que estão ambos em ponto morto.

2. Ligue o cabo vermelho ao polo positivo da bateria do carro doador e em seguida faça o mesmo no carro receptor. As pinças deverão ficar bem firmes. Tenha cuidado para tocar apenas no plástico da pega.

3. Ligue o cabo preto ao polo negativo da bateria do carro doador e em seguida faça o mesmo no carro receptor. Mais uma vez, tenha cuidado para que as suas mãos não toquem em qualquer peça metálica.

4. Após fazer a ligação, dê a partida no carro doador. Com ele ligado, faça o mesmo no carro receptor. Pode tentar mais do que uma vez, mas tenha cuidado com o sobreaquecimento dos cabos. Se isso acontecer, desligue imediatamente o motor.

5. Caso o problema do seu carro seja somente a bateria descarregada, deixá-lo por uns minutos ligado ao outro carro ou conduzi-lo por uma meia hora deverá ser o suficiente para que a bateria recarregue. Caso, depois disto, a bateria volte a dar problema, algo que se nota principalmente por falhas elétricas, como faróis com brilho menos intenso, é tempo de trocar de bateria ou de verificar o regulador de tensão ou mesmo o alternador. Serviço para bons autoelétricos.

Pegar no tranco?

Outro procedimento em que se deve tomar cuidado, especialmente em carros mais novos, é fazer o carro pegar no tranco. Essa técnica é indicada caso você não tenha cabos à mão e o carro esteja numa descida, sem quaisquer obstáculos à frente. Neste caso, vire a chave, deixe o carro descer e, quando este ganhar impulso, engrene a segunda marcha e solte a embreagem. Também de pode já sair com o carro engrenado em segunda e com o pé no pedal da embreagem, soltando-o quando o carro estiver embalado. A mesma operação pode ser executada recorrendo à marcha à ré, mas isso é extremamente desaconselhável porque o carro será mais difícil de controlar.

Compartilhar

Notícias Recentes

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

  • Hatchback

  • Sedã

  • SUV/Crossover

  • Picape

  • SW/Perua

  • Van/Minivan

  • Cupê

  • Conversível

  • Hibrido/Elétrico

  • Luxo

PUBLICIDADE