PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

5 dicas para escolher um mecânico de confiança

Um profissional confiável pode representar a diferença entre valorizar o investimento feito na compra de um automóvel ou ter um problema permanente sobre rodas

O mecânico está para o carro como um médico para uma pessoa. Da mesma forma que não pomos nossos corações nas mãos de qualquer um, também não devemos deixar os veículos que nos transportam nas mãos de qualquer zé arruela. Por isso, quando se trata de colocar o carro na oficina, não escolha a primeira que encontrar, mesmo que seja uma autorizada pela marca. Siga antes alguns passos que lhe permitam encontrar um mecânico de confiança e lhe poupar alguns dissabores futuros.

1. Peça a opinião dos amigos e conhecidos

O melhor ponto de partida é perguntar a pessoas de sua confiança onde elas deixam seus automóveis. Especialmente aquelas que são chatas com relação à manutenção. Sabe aquele seu amigo que entra em desespero quando esquece de fazer a troca de óleo na semana que havia programado? Esse mesmo. Ele saberá exatamente onde você deve deixar seu carro. Aliás, o ideal é perguntar a um monte destes amigos onde eles levam seus veículos. Uma indicação balizada por muitos ajuda bastante na decisão.

2. Faça uma investigação online por bons mecânicos

Com a indicação dos amigos, pesquise online se a oficina indicada é realmente tão boa. Se for comum haver problemas, não será difícil encontrar queixas em diversos sites ou mesmo apenas em um buscador como o Google. A ausência de reclamações pode ser um bom sinal: o pessoal é sempre mais rápido para criticar do que para elogiar. Se seu veículo estiver na garantia, lembre-se de que qualquer serviço feito fora da rede autorizada pode acabar com ela. Se já estiver fora, mas você tiver indicação de deixar em uma concessionária, experimente a indicação. Há muitas concessionárias merecedoras de elogios.

2. Não se atire de cabeça

Se você está pesquisando para usar os serviços de um lugar pela primeira vez, não vá logo de cara pedir uma retífica de motor. Comece por coisas mais simples, como trocar filtros, óleos, verificar níveis… Se você se deparar com um bom profissional, perceberá que o cara trabalha direitinho nos detalhes, como te mostrar as peças trocadas no final dos reparos, passar o orçamento antes de executar os serviços etc. Confiança é algo que se conquista e será mais fácil criar uma relação próxima com o pessoal da oficina se a visitar com regularidade.

3. Mantenha os olhos bem abertos

Tente perceber se a entrada de clientes na oficina é fácil ou se, pelo contrário, é dificultada. Se observar a segunda hipótese, pode ser sinal de que há algo a esconder. Perca uns minutos inspecionando o ambiente, as máquinas e ferramentas utilizadas. O padrão atual para oficinas é de um lugar limpo e organizado. Não impecável, obviamente, mas em ordem. Fuja de lugares com peças jogadas em meio a poças de óleo. Com relação às máquinas, se elas parecerem maltratadas ou sem manutenção, fique alerta. As ferramentas também não podem estar espalhadas desordenadamente: é sinal de desorganização.

4. Compare valores

Não é apenas de orçamentos muito caros que você deve desconfiar. Preços excessivamente baixos podem indicar que as peças que constam do orçamento ou são de segunda linha ou nem serão trocadas. Faça uma pesquisa de preços para as peças relacionadas e tente perceber se há grandes variações. Se houver, você pode se propor a comprar as peças e levar para o mecânico. Qualquer resistência dele em relação a essa proposta é mau sinal.

5. Não dê liberdade total ao mecânico

Pelo menos nessa fase de escolha de um bom profissional, não deixe o seu carro na oficina com instruções para “consertar o que for preciso”. Peça um orçamento detalhado, incluindo os custos de mão de obra, que podem ser os mais pesados na conta, e deixe claro que a oficina não deverá nem pensar em trabalhar no carro antes da sua aprovação. Boas oficinas farão isso sem que você precise pedir. Se conseguir encontrar uma com mecânicos parceiros, dos que dizem que você pode rodar mais uns 10 mil km com o jogo atual de pastilhas de freio, você talvez possa entregar o carro e pedir para fazer tudo que for necessário. Tome muito cuidado com esse "talvez", beleza?

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro