PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Quer dirigir bem? Comece por conhecer seu carro tão bem quanto possível

Além de saber como proceder ao volante, é preciso ter intimidade com a máquina que você dirige. Para rodar tranquilo e se livrar de enrascadas

Há muita gente que tem medo do teste para tirar a CNH, a famosa Carteira Nacional de Habilitação. Mas a verdade é que a "provinha" é exatamente isso: um teste muito do "insuficiente", para dizer o mínimo, sobre as habilidades de qualquer um ao volante. Tanto que não é raro dizerem que só se aprende a dirigir depois de pegar a carteira. E o correto é que só a recebesse quem já tivesse habilidade suficiente para isso. O Brasil é o país em que todos os carros são obrigados a sair com ABS, mas a maior parte dos motoristas não sabem como usá-lo corretamente. Ou para que servem. Em que a lei exige cintos e cadeirinhas, mas ninguém usa. Em que ninguém calibra ou se preocupa com o estado dos pneus. Em que as pessoas freiam no meio da estrada, jogam lixo pela janela e outras coisinhas mais.

Se você não quer fazer parte dessa manada de perigos ao volante, leia nossa lista com 5 passos que vão ajudá-lo a conhecer melhor o seu carro e a saber como reagir a situações de frenagens bruscas ou de desvio de obstáculos. Não se esqueça de que a segurança vem sempre em primeiro lugar. Por isso, faça estes exercícios apenas em ambientes absolutamente controlados. Se possível, sob a supervisão de um especialista em cursos de direção defensiva, como os oferecidos pelo Centro de Pilotagem Roberto Manzini, os ambientes mais indicados para aprender a dirigir corretamente. E o dinheiro mais bem gasto para aqueles que querem realmente aprender a dirigir.

1. Conheça as verdadeiras dimensões do seu carro

Para conhecer devidamente as dimensões do seu veículo, escolha um estacionamento vazio ou uma zona sem pessoas nem carros e construa uma estrutura que lhe permita simular obstáculos. Pode colocar dois tubos de PVC na vertical (ou dois cones, se conseguir comprá-los ou pegá-los emprestado), a uma distância de cerca de 30 cm de cada retrovisor. Em seguida, vá com o carro para a frente e para trás entre os dois obstáculos, tentando não tocar neles.

Quando já tiver uma noção melhor da largura do seu carro, pode tirar o carro de dentro dos obstáculos e treinar passar por eles com mais velocidade. E frear entre eles. Isso vai ajudar a perceber onde começa e onde acaba o veículo, tornando os estacionamentos mais fáceis e rápidos.

2. Aprenda a desviar de obstáculos

Sabe aqueles ressaltos que há nas faixas? Além de conterem olhos de gato, para ajudar na condução noturna, eles também servem como alertas sonoros das mudanças. Quem nunca teve um avô ou tio que dirigia o tempo todo passando por eles? Pois é. Há também faixas estriadas e contínuas, nas quais o rumor dos pneus fica mais alto. Em um pedaço de estrada ou de rua que tenha um destes elementos, passe com os pneus da esquerda por cima deles. Onde for possível, também com os da direita. Isso o ajudará a saber exatamente os pneus estão nas laterais. Se souber exatamente onde eles estão, em caso de emergência - como encontrar um animal ou um grande buraco na estrada - você saberá se é possível desviar ou se é preciso enfiar o pé nos freios.

Desviar de obstáculos

3. Avalie sua habilidade (e seu carro)

Em um lugar tranquilo e de piso plano, como um estacionamento mais vazio (e sem pilastras) ou uma rua de pouco movimento, se preferência sem saída, escolha uma faixa e dê ré. Procure ficar dentro da faixa escolhida, cada vez em velocidade mais alta. Perceba quando a traseira começa a flutuar e de que forma você mantém o controle (e a direção) mais facilmente. Isso permite avaliar a visibilidade traseira e o comportamento de seu carro em uma situação em que for preciso dar ré rapidamente.

Outro teste muito bom de fazer é o de slalom. Coloque vários obstáculos em linha reta, um atrás do outro, em uma distância que lhe permita passar com o carro entre eles. E vá ziguezagueando. A cada vez em velocidade mais alta, mas constante. Esse é um bom modo de perceber quando seu carro começa a sair de frente e em que velocidade isso acontece.

4. Perca o medo de acelerar

O acelerador pode livrá-lo de quase tantos problemas quanto os que pode causar. Porém, muita gente parece ficar petrificada quando precisa pisar fundo. Ou ganhar velocidade logo depois de entrar em uma avenida ou de uma rodovia, por exemplo.

Acelerar forte

Para evitar que isso aconteça, escolha uma estrada com pouco trânsito ou mesmo deserta. Sem perturbar o trânsito, deixe que a velocidade cair até a metade da máxima permitida e enfie o pé no pedal da direita. Ou, onde for possível, encoste o carro e, quando der, acelere. Sempre até atingir a velocidade máxima. Se sentir necessidade de desacelerar antes disso, levante totalmente o pé até voltar à metade do limite legal e repita a manobra. Não dirija com parcimônia - é pé no assoalho ou nada. Experimente isto com diferentes limites de velocidade até conhecer bem a rapidez de reação de seu carro quando acelerar. Isso certamente vai ajudá-lo a resolver situações do dia a dia. E a não empatar o trânsito.

5. Aprenda a frear forte

Hoje em dia, é obrigatório que os carros novos saiam com ABS. E alguns modelos usados já o traziam há anos. Infelizmente, como dissemos no começo, poucos sabem usá-lo devidamente. O objetivo do ABS é impedir que as rodas travem. Quando elas travam, especialmente as dianteiras, o carro não muda mais de direção. Ele segue em linha reta até parar ou bater. Se elas não travam, com a ajuda do ABS ou da sensibilidade de quem dirige, é possível reduzir a velocidade e desviar de eventuais obstáculos. Em suma, manter o controle do veículo e não virar seu passageiro. Ainda que ao volante.

Se seu carro não tiver ABS e for preciso frear forte, o ideal é manter o volante reto, tentando manter o carro o mais estável possível. Motoristas mais experientes conseguem aliviar o pedal e recuperar o controle sem deixar de frear, mas isso exige treino. E um lugar tranquilo, em que pneus cantando não assustem a vizinhança nem faça ninguém chamar a polícia. Também exige grana, já que os pneus podem ficar quadrados em frenagens muito fortes. E pneus quadrados precisam ser trocados.

Frear forte

Se ele tiver ABS, pode frear bem forte. Você sentirá o pedal pulsando sob seu pé, sinal de que o sistema está aliviando a pressão para que as rodas não travem. É comum que motoristas inexperientes ou que não conhecem o ABS se assustem, tirando o pé e batendo o carro. Por isso muitos fabricantes adotam um sistema de auxílio à frenagem: depois que o motorista pisa forte, ele continua a acionar o freio sozinho até o veículo parar mesmo que o condutor alivie o pé. Mas o ideal é que você não conte com isso. Pise o mais forte que puder, segure o pé no freio e desvie.

Para saber como reage seu carro numa frenagem de emergência - quer ele tenha ABS ou não - escolha um lugar sem movimento, coloque um obstáculo no chão (um dos que conseguiu para os primeiros exercícios) e tente frear antes de bater nele. Não é preciso (nem recomendável) ir a grande velocidade. Uns 40 km/h, 50 km/h já são suficientes. O objetivo é perceber como seu carro vai reagir, de forma a conseguir controlá-lo melhor numa situação real.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro