PUBLICIDADE
HomeNotíciasNovidades
Compartilhar

Geely Borui GE é primeiro chinês com plataforma CMA e motor Drive-E

Modelo chega perto de anúncio de que o grupo Gandini desistiu da marca chinesa (talvez cedo demais...)

Quando Volvo e Geely apresentaram o CEVT (China Euro Vehicle Technology), em 2013, elas já anunciaram que desenvolviam juntas uma plataforma comum para as marcas, a CMA (C- Segment Modular Architecture). E o primeiro produto estrearia com a Volvo para depois aparecer em modelos da marca chinesa. Testemunhas da apresentação, só não imaginamos que o carro da Volvo demoraria tanto a aparecer. Ele é o XC40. Faltava conhecer qual seria o modelo Geely a trazer a plataforma, mas não falta mais. A fabricante chinesa apresentou no final de março o Borui GE, que também vem sendo chamado de Emgrand GT. Com motor 1.5 Drive-E de 3 cilindros e uma transmissão de 7 marchas automatizada de dupla embreagem, para não haver dúvida de sua herança sueca.

O Borui GE deverá ser a versão híbrida plug-in do sedã, um tipo de carroceria muito popular na China. Além do motor 1.5 Drive-E, turbinado, o Geely terá também um 1.8 e um 2.4, ambos dotados de uma transmissão automática de 6 marchas. Por dentro, o sedã terá uma central multimídia de tela aparentemente gigantesca, mas que tem "só" 12,2 polegadas. Os elementos ao lado dela são apenas decorativos, ainda que encobertos pelo mesmo material.

Geely Borui GE

O modelo estreará na China em 9 de abril. Poucos dias depois de o grupo Gandini, que representava a marca oficialmente no Brasil, anunciar que não retomará a operação da empresa por aqui. “Entendemos que depois de um longo período de paralisação do setor de veículos importados e, agora, renascendo sem a trava de 4.800 carros anuais imposta pelo programa Inovar-Auto, precisamos direcionar todos os nossos esforços na Kia Motors do Brasil, marca que já está consolidada e é reconhecida pelos consumidores brasileiros”, disse José Luiz Gandini, presidente do grupo, em comunicado oficial. Com o bom momento que a Geely vive no mundo, isso só se explica por duas coisas: pressão da Kia para que Gandini escolhesse um barco só em que ficar ou decisão da Geely de se estabelecer por aqui por conta própria. O motivo levará tempo para ser realmente conhecido. Talvez tanto quanto levaremos para conhecer ao vivo o Borui GE. É muito pouco provável que a Geely queira ficar de fora do Brasil.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro