PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Guia de compra KBB: Fiat Punto com preço de Renault Kwid

Unidades 2017 possuem boa oferta de itens e variedade de opções de motorização

Faz apenas dois anos que o Fiat Punto saiu de linha no Brasil para dar lugar ao Argo, sem se quer ter recebido a linha 2018. Na mesma época, muito por questões ligadas a limites de poluentes, o hatch foi aposentado na Europa. No entanto, a fusão da FCA com a PSA parece ter reacendido a ideia de uma nova geração do modelo. Por esse motivo, ele é o nosso personagem do Guia de compra Kelley Blue Book de hoje. 

Nas últimas semanas apostamos em algumas listas, como carros populares por até R$ 30 mil, sedãs médios por até R$ 60 mil, SUVs compactos por até R$ 70 mil e SUVs médios por até R$ 100 mil. Já tivemos no Guia de compra carros como Volkswagen PoloFiat ArgoPeugeot 208Honda Fit, entre outros. Aqui, tiramos a limpo preços sugeridos, além de qualidades e defeitos de opções no mercado. Outros modelos que passaram por aqui foram o Jeep Renegade e o Honda HR-V. 

DESEMPENHO

CONFORTO INTERNO

EQUIPAMENTOS E TECNOLOGIA

PRÓS E CONTRAS

QUAL VERSÃO COMPRAR?

DESEMPENHO  

O Punto, até 2017, atendia a praticamente todos os tipos de públicos. Focando nos mais recentes, a linha era composta por motores: 1.4, 1.6 e 1.8, aspirados, além de 1.4 turbo somente a gasolina. Com isso, a faixa de potência ia de 88 cv a 152 cv.

O motor 1.4 fire flex é o menos disposto, uma vez que o hatch é bem pesado para seu tamanho. São 1.145 kg na versão de entrada. Os 88 cv e 12,5 kgfm dão conta do recado, mas não espere se empolgar, é ligeiramente melhor que o desempenho de um 1.0.

Confira o preço KBB de todas as versões do Fiat Punto

Na outra ponta da tabela entre os aspirados está o 1.8 E.torQ, ambos são utilizados até hoje, o que significa que não será difícil achar peças. Esse motor rende 132 cv e 18,9 kgfm de torque, melhorando consideravelmente o desempenho, mas cobrando isso na hora de abastecer o enorme tanque de 60 litros. 

O mais equilibrado é o motor que não existe mais na gama Fiat: 1.6 E.torQ. Esse motor rende 117 cv e 16,8 kgfm de torque e tem consumo mais próximo do 1.4 do que do 1.8. Não que seja muito econômico, nenhum deles é. Em comum, ambos acordam depois dos 2.000 rpm, o que pode ser um pouco incômodo na cidade. 

Com 152 cv e 21,1 kgfm, o T-Jet é a opção para quem quer um carro com desempenho empolgante. Aos 2.250 rpm todo o o torque já foi entregue. O 0 a 100 km/h é feito na casa dos 8 segundos. E além de tudo é o que consome menos combustível, apesar de rodar apenas na gasolina. 

Em todos há algo em comum: o Punto é um carro muito gostoso de dirigir. 

CONFORTO INTERNO

Quatro pessoas viajam tranquilamente no Punto. Até é possível levar o quinto elemento, mas comprometendo um pouco o conforto dos demais. No entanto, a grande vantagem é do motorista em termos de conforto. São 4,06 m de comprimento e 2,51 m de entre-eixos, o porta-malas comporta 280 litros. 

Todos os Punto possuem volantes com ajuste de altura e profundidade, além de bancos com ajuste de altura, o que torna fácil encontrar uma posição para dirigir. A suspensão é outro ponto agradável. Ao contrário dos demais Fiat, como Uno e Palio, a calibração não é mole demais, sendo ajustada na medida entre conforto e estabilidade.

No T-Jet o acerto é até um pouco mais firme, mas sem perder a capacidade de filtrar os buracos no asfalto brasileiro. Neste caso a dirigibilidade é ainda mais acentuada. 

Algo que incomoda no Punto é a abertura do tanque ainda ser no sistema de alavanca no assoalho, enquanto seus rivais já possuíam a trava eletrônica. Faltam também porta-objetos, são poucos e os porta-copos são bem rasos, o que pode ocasionar dificuldade para levar bebidas.

EQUIPAMENTOS E TECNOLOGIA

O Punto sempre foi equipado de série com ajustes de profundidade e altura do volante, direção hidráulica, sinalizador de frenagem de emergência, além de freios ABS e airbags frontais antes mesmo da obrigatoriedade dos itens. 

Dependendo da versão é possível contar com sensor de estacionamento, câmera de ré, ar-condicionado digital, airbags laterais, retrovisores elétricos, teto solar, sensores de chuva e crepuscular, bancos em couro, retrovisor interno eletrocrômico e diversas opções de cores.

No entanto, se você for se aventurar nas versões mais antigas, fique atento pois o Punto só entrou a era do streaming de músicas em 2017. Antes disso até existia um sistema Bluetooth batizado de Blue&Me, porém era apenas para ligações.

PRÓS E CONTRAS

Vantagens Desvantagens
Dirigibilidade Consumo 
Conforto Desempenho 1.4 aspirado
Equipamentos Porta-malas
Acabamento Espaço
Variedade da gama  Conectividade

 

QUAL VERSÃO COMPRAR?

Como dissemos no título, é possível comprar um Punto 2017 por menos que o um Renault Kwid. A versão mais cara do Kwid custa R$ 46.990, enquanto o T-Jet, versão mais valorizada do Fiat, varia entre R$ 44.996 e R$ 50.700 segundo nossa ferramenta de preços. No entanto, se escolher o esportivo preste muita atenção ao histórico de manutenção e possíveis mudanças mecânicas no motor turbo e altura da suspensão. Outra ressalva é que o T-Jet só vai até 2016.

Cumprindo a promessa do título, vamos escolher um 2017. A configuração que mais desperta desejo dos fãs do modelo é a 1.8 BlackMotion com câmbio manual. Essa versão, segundo nossa ferramenta, tem preço médio de R$ 45.878. A opção do equilíbrio, citada acima, 1.6 Essence varia entre R$ 37 mil e R$ 42 mil.

 

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro