PUBLICIDADE
HomeNotíciasNovidades
Compartilhar

Marchionne admite possibilidade de construir Ferrari 250 GTO "restantes"

Produção mínima para homologação tinha de ser de 100 unidades. Foram feitas apenas 39 do carro mais caro do mundo

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) exigia nos anos 1960 uma produção mínima de 100 unidades de um modelo para que ele pudesse ser homologado para o grupo GT3. Malandramente, Enzo Ferrari construiu apenas 39 unidades do 250 GTO. E teria, segundo a lenda, convencido os inspetores da FIA ainda mais malandramente. Depois de apresentar os carros, ele teria convidado os inspetores para tomar um café e dito que os demais estavam em outra área. Por um tempo suficiente para que os carros fossem mudados de lugar e contados mais de uma vez até chegar à quantidade desejada pela entidade. Com isso, haveria espaço para construir as 61 unidades restantes do que é considerado o melhor Ferrari de todos os tempos. E Sergio Marchionne, CEO da Ferrari e da FCA, disse à revista britânica Top Gear que essa possibilidade existe.

"A resposta é sim, mas eu luto com o termo 'carro de continuação'. Eu comprei uma carcaça de E-Type quando era garoto porque achava aquilo a coisa mais linda que já foi fabricada. Vendi um pouco depois, sem consertar. O que a Jaguar fez com os carros com os E-Type Lightweight foi inteligente, mas reinventaer o 250 é uma tarefa difícil. E viver do espólio do passado é um mau hábito para adquirir. Mas definitivamente há uma plataforma aí, e esperamos poder mostrar algo a vocês nos próximos anos", disse Marchionne à Top Gear.

Ferrari 250 GTO

Prova de que o CEO está de olho neste filão foi a ação da FCA na Retromobile, feira de antigos mais tradicional do mundo. Por lá, ela deu início ao "Reloaded by Creators", anunciando a venda de cinco clássicos refeitos pela fabricante. Na esteira do que a Jaguar já tinha feito com o E-Type Lightweight e com o Jaguar D-Type no mesmo evento de antigos. Ou a Land Rover Classic com o Defender e com o primeiro Range Rover. E vale lembrar que qualquer Ferrari 250 GTO dos 39 originais vale uma fortuna. O carro mais caro do mundo foi um deles, vendido em outubro de 2013 pela bagatela de US$ 52 milhões. O que talvez explique por que os donos dos originais talvez fiquem possessos com a Ferrari.

O 250 GTO é uma obra de arte. Fabricado de 1962 a 1964, ele tem 4,33 m de comprimento, 1,60 m de largura, 1,21 m de altura e entre-eixos de 2,40 m. Seu motor V12 de 3 litros gera 300 cv. E você terá sorte se vir algum nas ruas. Ou em qualquer outro lugar. Talvez a Ferrari resolva nos dar mais 61 chances de ver um deles ao vivo. E, mesmo que a Ferrari cobre pouco, não será um modelo para menos de US$ 10 milhões cada um...

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Picape
SUV/Crossover
Sedã
Hatchback
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro