PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

8 dicas para passar a gravidez dirigindo com segurança

Não há nenhuma contraindicação de volante para grávidas e há até quem dirija até a maternidade (literalmente), desde que com os devidos cuidados

Ficar grávida não é impeditivo para dirigir. Pelo menos não para as mulheres que não tiverem nenhuma contraindicação médica devido a alguma complicação paralela. No entanto, mesmo numa gestação sem quaisquer problemas, há alguns cuidados a tomar quando a futura mãe se senta atrás do volante. Tudo para proteger da melhor forma o bebê que aí vem. Aqui estão 8 dicas para dirigir com segurança durante a gravidez:

1. Não desligue o airbag

Tanto faz se você se senta ao volante ou no banco do passageiro: o airbag deve estar sempre ligado. Ao contrário do que muitas pessoas acham, o dispositivo que, quando acionado, atinge a zona da cabeça e peito, não irá prejudicar o feto, mas sim proteger a grávida. Tenha, no entanto, atenção à distância entre o local onde está alojado o airbag e o seu corpo. Certifique-se de que ele não é inferior a 20 cm. E nunca, jamais, ande com os pés sobre o painel, por mais que eles estejam inchados. Se o airbag se abrir, ele quebrará suas pernas.

2. Ajuste o banco e o volante ao longo da gestação

À medida que a gravidez avança e a barriga cresce, não se esqueça de regular o banco para garantir uma distância de segurança em relação ao volante. Ele deverá estar na posição mais afastada possível. O volante, se tiver regulagem, deve ficar o mais alto possível, voltado para a cabeça e o peito e também tão distante quanto der. Não deixe os braços esticados: eles devem ficar levemente arqueados para garantir amplitude de movimentos.

3. Corrija a postura

Se o banco já está bem regulado em distância, não se esqueça da inclinação do encosto. Mesmo que inicialmente não se sinta muito confortável, tente manter as costas o mais retas possível.

Grávidas na direção

4. Aprenda a colocar o cinto

Nunca deixe de por o cinto de segurança. Além de incorrer em multa, os riscos sem cinto são superiores às suas contraindicações. No entanto, reaprenda a utilizá-lo: a cinta que cruza deverá passar sobre o peito e ao lado da barriga; a inferior deverá ser posicionada o mais baixo possível. Não passe nenhuma das cintas no meio da barriga. Se tiver de ocupar o banco traseiro, evite cintos de dois pontos de fixação. Não caia na tentação de colocar almofadas entre o cinto e a barriga. Isso não beneficiará em nada o feto e poderá expor vocês dois a riscos desnecessários.

5. Faça pausas regulares

Eis indicação que não é exclusiva para grávidas: qualquer condutor deve fazer pequenas pausas quando a viagem ultrapassa as duas horas, tempo a partir do qual os níveis de atenção tendem a diminuir. No entanto, para as grávidas, há outros fatores a levar em conta. Muito tempo na mesma posição vai, por exemplo, provocar o inchaço dos membros inferiores.

6. Leve lanche

Pode ser numa viagem longa ou no anda-e-para urbano, no qual um curto trajeto pode deixar a grávida em questão muito tempo dentro do automóvel. Tenha sempre água no carro e ande sempre com um pequeno lanche (pão, bolachas, frutas...), evitando estados de hipoglicemia.

7. Peça ajuda

Estar grávida não é estar doente, mas se se sentir uma super-heroína é apenas efeito dos hormônios... Se o carro apresentar algum defeito ou se um pneu furar, por exemplo, não tente resolver a questão, sobretudo se isso exigir esforço físico. Peça ajuda.

8. Evite viagens longas

Este não é um cuidado exigível durante toda a gravidez, mas deverá ser levado em conta quando o parto previsto se aproximar. Sempre que precisar dirigir durante algumas horas no fim da gravidez, informe-se dos hospitais que existem pelo caminho e no destino.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro