PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Qual a diferença entre óleo sintético e mineral?

Apesar das funções semelhantes, os tipos de óleos são distintos em preço e até durabilidade

O óleo é, possivelmente, o item mais importante do motor. Ele é responsável por lubrificar as peças, garantindo maior durabilidade dos itens, além de melhor rendimento e funcionamento suave. Mas é preciso sempre estar atento ao manual e às trocas de óleo e escolher o produto mais adequado para cada carro. 

Mas você sabia que existem óleos minerais e sintéticos? Conseguiria diferenciá-los? Não? Tudo bem, não se preocupe. A dica da KBB de hoje vai explicar quais são as diferenças entre os tipos de óleos lubrificantes. 

Óleo lubrificante mineral

Como o nome já diz, os lubricantes minerais, ou com base mineral, são derivados do petróleo. Por conta dessa origem, possuem estrutura molecular irregular, uma vez que a matéria-prima é desigual. 

Por esse motivo, esses óleos têm divergências em qualidade, viscosidade, durabilidade e temperatura da ignição, por exemplo. Para conseguir estabilizar a estrutura e tornar o óleo viável aos veículos, as indústrias misturam esses óleos com aditivos, tornando tudo mais uniforme. Porém, esses aditivos possuem vida útil menor, tornando o óleo mineral menos durável. No entanto, é consideravelmente mais barato. 

Óleo lubrificante sintético

Ao contrário do mineral, o sintético não usa petróleo em sua base, ao invés disso, é criado através de reações químicas que moldam os produtos até chegar nas características desejadas. Desta maneira, e por serem feitos em ambientes controlados, possuem estrutura molecular homogênea e são mais estáveis e duráveis. 

Entretanto, devido ao extenso processo industrial, o produto é mais caro. Eles também contam com aditivos, mas que não estão ali para manter a fórmula estável, e sim para fazer outras funções, como auxiliar na limpeza interna do motor. Há ainda os óleos semissintéticos, que são basicamente a mistura dos dois tipos citados. 

Então devo comprar somente sintético?

Não é bem assim. Na realidade, você deve sempre seguir as especificações que a fabricante do seu veículo determina no manual do veículo. Afinal, ao desenvolver um motor os engenheiros testam os mais variados tipos de lubrificantes até chegar naquele que entrega o melhor resultado para o bom funcionamento do motor.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro