PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Serviço AutoPapo - Quanto custa para encher o tanque dos carros mais vendidos?

Separamos os 10 veículos mais vendidos do país e calculamos o tamanho da despesa para completar com gasolina ou etanol

“Completa, doutor?”. Tem gente que tem até medo de responder a essa pergunta do simpático frentista. Mandar encher o tanque do carro virou um desafio e tanto para muitos motoristas – inclusive, para esse que vos escreve, que resolveu ter um modelo “véinho” com um reservatório de… 80 litros! A boa notícia é que os carros novos têm tanques bem menores, e prometem muito mais economia. Leia abaixo ou clique aqui e leia diretamente no AutoPapo. 

Pegamos os 10 veículos mais vendidos do país no acumulado de 2021, entre automóveis de passeio e comerciais leves, segundo os dados de emplacamentos da Fenabrave – a entidade que reúne as concessionárias. Para ver o tamanho da conta para completar o tanque de cada um, consideramos a capacidade em litros do reservatório de cada carro informada pelos fabricantes.

VEJA TAMBÉM:

Para fazer o cálculo, utilizamos os preços médios nacionais do litro da gasolina comum (R$ 6,658) e do etanol (R$ 5,007) apurados pela Agência Nacional do Petróleo entre 23/01/2022 a 29/01/2022. Ou seja, não são números inventados e são valores que podem variar muito de posto, de cidade e de estado. Os preços dos carros também foram apurados na última semana de janeiro – exceto o estado de São Paulo.

Fiat Strada

fiat strada ranch parada em fazenda frente

  • Gasolina comum: R$ 366,19
  • Etanol: R$ 275,38
  • Tanque: 55 litros

A picape mais vendida do país nas últimas décadas e também o veículo mais emplacado em 2021 tem um tanque considerado médio para os padrões atuais. Até por ser um modelo para trabalho e transporte de carga, não pode ter um reservatório muito tímido para garantir uma boa autonomia e não parar a toda hora no posto.

Esta segunda geração da Strada foi lançada em 2020 e é vendida atualmente em seis versões, com opções de motor 1.4 Fire e 1.3 Firefly. Os preços vão de R$ 90.990 a R$ 116.990, com as mais caras equipadas com o novo câmbio automático CVT, que estreou em dezembro.

Hyundai HB20

hb20 sense 1.0 manual estacionado

  • Gasolina comum: R$ 332,90
  • Etanol: R$ 250,35
  • Tanque: 50 litros

O HB20 finalmente conseguiu desbancar o Onix do trono de automóvel de passeio mais negociado do Brasil – claro, graças aos problemas na produção do compacto da General Motors. Para encher o tanque, o Hyundai cobra um pouco menos que a Strada, já que a capacidade do reservatório é de 50 litros.

Por ser um dos modelos mais econômicos do país, contudo, garante boa autonomia. As versões com motor 1.0 aspirado e câmbio manual de cinco marchas fazem 13,3 km/l de média com gasolina na cidade, segundo os padrões do Inmetro para o PBEV, o que confere alcance de 665 km com um tanque cheio. O HB também é vendido com motor 1.0 turbo, enquanto o 1.6 foi retirado da linha no ano passado.

Fiat Argo

fiat argo hgt 2021

  • Gasolina comum: R$ 319,58
  • Etanol: R$ 240,33
  • Tanque: 48 litros

O hatch da Fiat ficou pouca coisa atrás do Hyundai entre os carros de passeio, mas cobra menos para encher o tanque do que o rival, graças aos 2 litros a menos de capacidade do reservatório. Isso sem comprometer a autonomia também, uma vez que as versões mais baratas, com o 1.0 6V, podem chegar a 667 km na cidade com um tanque cheio de gasolina com base na média de 13,9 km/l.

Ainda bem que as opções 1.8 do Argo saíram de cena no ano passado, já que tinham eficiência e autonomia bem mais baixas. A linha vai passar a ser equipada, esse ano, com o 1.0 turbo do Pulse. Por enquanto, o compacto é comercializado em quatro versões, com preços entre R$ 69.990 e R$ 81.990.

Jeep Renegade

frente do jeep renegade branco logo renegade serie especial 80 anos

  • Gasolina comum: R$ 399,48
  • Etanol: R$ 300,42
  • Tanque: 60 litros

O SUV mais vendido país cobra quase R$ 400 para encher o tanque até o fim com gasolina comum. Isso para rodar com o velho e já “condenado” motor 1.8 E.torQ, que sairá de cena em breve para dar lugar ao 1.3 turboflex da linha GSE. Até lá, o Renegade continua à venda em sete configurações, também (ainda) com opções do 2.0 turbodiesel, e preços entre R$ R$ 96.990 e R$ 180.990.

Chevrolet Onix

frente do onix rs vermelho estacionado

  • Gasolina comum: R$ 292,95
  • Etanol: R$ 220,30
  • Tanque: 44 litros

Todo mundo pega no pé do tamanho do tanque do Onix, mas, na hora de encher o tanque, a facada será menor. Com 44 litros, o reservatório é um dos mais tímidos da categoria de compactos. Porém, vale lembrar que o hatch da General Motors é um dos carros mais eficientes do pedaço pelas regras do Inmetro.

Com motor 1.0 aspirado e câmbio manual de seis marchas, faz 13,9 km/l no ciclo urbano pelo PBEV. Desta forma, sua autonomia pode chegar a 611 km. O hatch tem preços entre R$ 73.890 e R$ 95.340, e ainda opções de motor turbo e câmbio automático de seis marchas.

Jeep Compass

jeep compass serie s t270 cinza estacionado em terreno arenoso

  • Gasolina comum: R$ 399,48
  • Etanol: R$ 300,42
  • Tanque: 60 litros

O Compass é feito sobre a mesma base do Renegade em Goiana (PE) e tem o mesmo tamanho de tanque de combustível. São 60 litros de capacidade para o SUV médio que, no ano passado, foi remodelado, ganhou novos equipamentos e o motor 1.3 turboflex de 185/180 cv de potência.

Nesta opção de motor, são quatro configurações de acabamento, com preços entre R$ 158.490 e R$ 205.590. O modelo, contudo, manteve as opções com propulsor 2.0 turbodiesel e tração 4×4. São três versões que custam de R$ 217.590 a R$ 237.590.

Fiat Toro

fiat toro volcano t270 flex vermelha frente com pacote serie black edition

 
  • Gasolina comum: R$ 366,19
  • Etanol: R$ 275,38
  • Tanque: 55 litros

Mais um produto do Polo Automotivo da Stellantis em Pernambuco, só que a Toro tem um tanque pouca coisa menor que os dos irmãos de fábrica. A picape médio-compacta estreou versões com o 1.3 turboflex em 2021 na carona de um face-lift de meia-vida da linha.

No caso da Toro, são apenas duas derivações com o novo propulsor de até 185 cv, com preços de R$ 137.990 e R$ 149.190. Já as variantes turbodiesel, com o 2.0 de 170 cv e tração nas quatro rodas, são maioria ( cinco opções na gama) e também trazem um tanque de combustível maior: 60 litros.

Volkswagen Gol

volkswagen gol g7 vermelho de frente

  • Gasolina comum: R$ 366,19
  • Etanol: R$ 275,38
  • Tanque: 55 litros

O velho guerreiro se garantiu entre os 10 mais vendidos do ano passado e continua segurando as pontas como modelo de entrada da marca no Brasil. Com o tanque de 55 litros, a versão básica com motor 1.0 três-cilindros, câmbio manual de cinco marchas e rodas com aro de 14 polegadas garante uma autonomia de incríveis 731 km – com base nos dados do Inmetro, que aponta consumo médio urbano com gasolina de 13,3 km/l.

O compacto continua à venda em três versões, com preços entre R$ 69.790 e R$ 85.790 – a topo de linha usa o motor 1.6 16V MSI de até 120 cv com caixa automática de seis velocidades. Mas a opção intermediária, com o velho 1.6 8V EA111 de 104/101 cv e transmissão manual, vai dar adeus em breve.

Fiat Mobi

Redução na potência do Fiat Mobi fez o modelo ficar mais econômico

  • Gasolina comum: R$ 312,55
  • Etanol: R$ 235,32
  • Tanque: 47 litros

O Mobi é um dos carros que menos vai maltratar seu bolso na hora de encher o tanque: que comporta 47 litros. Mesmo assim, segundo dados do Inmetro, o subcompacto e carro mais barato da marca italiana por aqui é capaz de rodar 634 km em ambiente urbano com um reservatório cheio de gasolina.

Isso porque a engenharia da Fiat diz que trabalhou no velho motor 1.0 8V Fire para que o mesmo ficasse até 8% mais eficiente e se enquadrasse nas novas normas de emissões de poluentes do Proconve. Hoje, o Mobi é vendido em só duas variantes, com preços de R$ 60.990 e R$ 63.990.

Hyundai Creta

hyundai creta 2022 creta ultimate 59

  • Gasolina comum: R$ 332,90
  • Etanol: R$ 250,35
  • Tanque: 50 litros

O SUV ganhou nova geração no ano passado e o tanque encolheu um pouco. Caiu de 55 para 50 litros – por isso ficou mais barato encher o tanque. Porém, se garante com autonomia de até 580 km com gasolina na cidade graças à chegada do novo motor 1.0 turboflex de 120 cv. Pelo Inmetro, com esse propulsor o Creta faz 11,6 km/l na melhor avaliação, enquanto o antecessor, fazia 9,8 km/l.

Fazia, não. Faz. Isso porque a marca sul-coreana mantém o Creta velho em uma opção “de entrada” Action com o motor 1.6 16V aspirado por R$ 106.990. O renovado SUV, por sua vez, custa de R$ 117.690 a R$ 164.690, com a versão mais cara, a Ultimate, equipada com o 2.0 16V aspirado e consumo urbano de 10,9 km/l, com gasolina.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro