PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Você sabia que dirigir muito perto do carro da frente dá multa?

Além das questões de segurança, andar na distância correta evita multas

A gente sabe que não existe ninguém mais chato do que o "fiscal de faixa". Aquele motorista ruim de roda que acha que, por rodar na velocidade máxima permitida na via, ele tem todo o direito de continuar na esquerda. É o usucapião de faixa... Mas isso não quer dizer que você deva passar pela direita ou que deva colar na traseira. Assim como seguro morreu de velho, é preciso manter uma distância de segurança entre o veículo da frente e o seu. Essa é uma regra básica ao volante e um dos princípios da direção defensiva. Além de servir de proteção, pode evitar multa e pontos na carteira.

LEIA TAMBÉM:
Adeus ao posto de gasolina: veja as vantagens de se ter um carro elétrico

Segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), em seu artigo 192, "deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo", é motivo para infração grave, punida com 5 pontos na carteira e uma multa de R$ 195,23. Pena que o processo de habilitação brasileiro seja tão deficiente e não ensine o aspirante a condutor como realmente se portar nas diversas situações. E que a fiscalização seja tão deficiente que esse tipo de multa seja pouquíssimo aplicada. E dá-lhe gente colada na traseira, causando coisas como as que se pode ver no vídeo abaixo.

Noutros países, os cursos de direção defensiva fazem parte das exigências para se obter a carta. Eles ensinam a adaptar a condução à estrada e ao tempo, manter uma distância de segurança, o que fazer em situações de derrapagem ou aparecimento de obstáculos súbitos etc. Isso só se aprende em situações reais de condução, ainda que controladas.

Qual a distância mínima de segurança que deve manter

Como calcular essa distância? O CTB não é explícito. Alguns veículos mais recentes, dotados de sistemas de alerta de colisão e de frenagem de emergência, avisam o condutor por sinais luminosos e/ou sonoros quando a distância de segurança para o veículo adiante é insuficiente em caso de parada súbita e podem até mesmo frear de forma automática. Esse é um dispositivo cada vez mais comum e que, no futuro, irá equipar os veículos novos postos à venda.

Porém, infelizmente, esses sistemas ainda não estão disponíveis na esmagadora maioria dos carros atualmente em circulação. Assim, para calcular a distância de segurança, é preciso levar de conta o tempo médio de reação, que é de cerca 1 segundo. Se, por exemplo, circular a 30 km/h, o seu tempo de reação levará a que o seu veículo percorra aproximadamente 9 metros antes de começar a parar. Caso circule a 60 km/h, você percorrerá 18 metros, uma distância equivalente a pouco mais de quatro carros, e a 120 km/h serão 36 metros antes que consiga frear.

Distâncias de frenagem de um carro

Além do tempo de reação, é preciso pensar na distância de frenagem, que aumenta exponencialmente e não proporcionalmente em razão da velocidade: no exemplo dos 60 km/h, a distância de frenagem é, em média, de 20 metros, mas, no caso dos 120 km/h, já atinge cerca de 110 metros e estes valores se somam aos metros percorridos devido ao tempo de reação. Mesmo em carros de alto desempenho, dotados de freios melhores, as distâncias de frenagem são proporcionais às de um carro mais simples, ainda que menores.

Estes cálculos são válidos para quem dirige numa estrada com bom asfalto e tempo seco. Com chuva, lama, nevoeiro e piso irregular, a distância de segurança é maior. Não se esqueça de que você não roda sozinho na estrada: proteja-se, mas proteja também as demais famílias que dividem contigo o mesmo espaço.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro