PUBLICIDADE
HomeNotíciasNovidades
Compartilhar

Volkswagen apresenta inédito T-Roc, o "SUV do Golf", em Frankfurt

Novidade é feita sobre a plataforma MQB e deve atacar mercados emergentes e Europa

A Volkswagen antecipou a apresentação do tão aguardado T-Roc. O modelo, que está nos planos da companhia desde 2014 – quando foi mostrado como conceito em Genebra (Suíça) –, é feito sobre a mesma plataforma MQB do Golf e faz parte de um plano um tanto atrasado da marca de atacar o segmento dos SUVs. Seu lançamento oficial ocorreu durante o Salão de Frankfurt, na Alemanha.

Segundo Dr. Hebert Diess, CEO da Volkswagen, 10,6 milhões dos carros vendidos em 2027 serão SUVs, com países como Brasil e China sendo mercados-chave para a ampliação deste segmento, sobretudo de modelos menores. E é exatamente este o posicionamento do T-Roc.

Medindo 4,23 m de comprimento e com 2,60 m de entre-eixos, o  T-Roc é menor que o Honda HR-V (4,29 m e 2,61 m) e quase do mesmo tamanho que o Jeep Renegade (4,23 m e 2,57 m). Contudo, por ter balanços bem curtos (distância entre o eixo e o final do para-choque mais próximo), a Volkswagen promete um aproveitamento de espaço generoso, digno de classes superiores, para acomodar com conforto até cinco passageiros. As outras medidas do  T-Roc são 1,81 m de largura e 1,57 m de altura.

Volkswagen T-Roc

A única vantagem que podemos confirmar do T-Roc sobre os concorrentes citados é em relação ao porta-malas. Segundo a fabricante, ele terá 445 litros de volume, o que é maior do que os 260 litros do Renegade e que os 437 litros do HR-V. Com os bancos rebatidos, o espaço para bagagens é ampliado até 1.290 litros.

Visualmente, o T-Roc não representa nenhuma ruptura com o que estamos acostumados a ver em utilitários, mas de fato representa uma nova linguagem (ou DNA, conforme prefere a Volkswagen) de estilo para os utilitários da marca. Os designers foram insistentes o bastante para manter muitos elementos do conceito de três anos atrás, como a frente mais horizontalizada, com faróis afilados e grade numa espécie de “V”. Traseira encorpada, também com lanternas horizontais, mais finas, é outra herança do conceito.

Volkswagen T-Roc

O perfil do SUV até remete à moda contemporânea de utilitários “cupês”, com um caimento mais destacado da coluna C, larga como a do Golf. Talvez venham daí as considerações sobre ele ser o “SUV do Golf”. Saltam aos olhos, também, os para-lamas musculosos, uma maneira de exaltar a robustez do modelo.

A princípio, o VW T-Roc será feito em Setúbal (Portugal) para abastecer o mercado europeu, mas em breve a companhia deve anunciar outras fábricas para a produção do SUV, uma vez que ela quer com ele penetração em todos os principais países de cada região global.

De acordo com a Volkswagen, todos os T-Roc terão um ótimo nível de equipamentos de série, desde a versão mais acessível. Entre os equipamentos padrão do utilitário, estão frenagem autônoma com detecção de pedestres, assistente de permanência na faixa, DRL de LED, central multimídia com tela de 6,5 polegadas, rodas de aro 16, direção progressiva e câmera de ré.

Volkswagen T-Roc

Assim como já faz em alguns modelos aqui no Brasil, como up! e Saveiro, a Volkswagen vai oferecer uma gama em Y para o T-Roc. Ou seja, em vez de seguir uma linha do modelo base até o topo, haverá duas versões topo de linha com estilos diferentes, mas níveis de recheio e acabamento equivalentes. No caso dele, as duas versões mais caras são a Style e a Sport.

A primeira foca em requinte. Ela terá mais opções de cores externas (com teto contrastante) e para o acabamento da cabine. Os bancos são mais confortáveis, com rodas de aro 17 exclusivas (desenho chamado de Mayfield). Para a Sport, a VW reserva acabamento externo R-Line (spoilers, saias, teto escurecido e pinças de freio vermelhas), bancos mais esportivos, pedais de alumínio e rodas de aro 17 também, mas com desenho Kulmbach.

Volkswagen T-Roc

Opcionalmente, a gama do T-Roc contempla a tecnologia DCC de chassi adaptativo, isto é, um recurso eletrônico que atua nos amortecedores para atribuir diferentes modos de condução (desde um mais confortável até um mais agressivo, o “Sport”); controle de cruzeiro adaptativo até os 210 km/h, detector de pontos cegos, ar-condicionado de duas zonas e teto solar panorâmico. Também há o quadro de instrumentos digital Active Info Display, de 11,7 polegadas, e o sistema de infoentretenimento com tela de 8 polegadas, compatível com CarPlay e Android Auto.

A Volkswagen não deu detalhes sobre a gama de motores do inédito T-Roc. Os executivos se limitaram a dizer que serão três opções a gasolina e três diesel (motores turbo, com injeção direta, de até 190 cv), com possibilidade de trabalharem com câmbio manual ou de dupla embreagem (DSG) de 7 marchas, além da tração integral 4MOTION, reservada às versões mais caras.

Volkswagen T-Roc

Como o T-Roc tem parentesco estreito com o Golf, podemos dar alguns palpites sobre os motores a gasolina que eventualmente seriam oferecidos. Imaginamos que sejam o 1.0 TSI, para versões de entrada (comuns na Europa), 1.5 TSI de 130 cv ou 150 cv (há essas duas calibrações na Europa) e talvez o 2.0 TSI.  Como a apresentação citou os 190 cv, talvez o T-Roc não tenha uma versão de 230 cv neste primeiro momento.

Se vier para o Brasil (algo que ainda não está confirmado), o T-Roc será equipado com o 1.4 TSI, já aposentado na Europa, mas fabricado no Brasil. Difícil imaginar que usariam o 1.0 TSI no SUV por aqui, devido ao marketing arriscado (“um motor 1.0 num SUV?”), mas poderia ser uma opção muito eficiente ao SUV.

O T-Roc vai chegar às lojas no Velho Continente em novembro. A Volkswagen diz que ele será comercializado na casa dos 20 mil euros na Alemanha, o equivalente a R$ 74 mil em conversão livre, sem impostos.  

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro