PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Ter um carro: você conhece todos os custos envolvidos?

Quem faz as contas para conseguir arcar com o preço do carro anda fazendo conta errada. Entenda por que aqui


Se você comprar um carro usado, terá uma série de coisas para verificar. Um zero-quilômetro (às vezes) exige menos preocupação. Mas a realidade é que esse é apenas o começo de uma série de despesas que apenas começam com as parcelas ou mesmo com o pagamento integral de seu novo veículo. Fique de olho para não ser pego de calças curtas em algo que deveria ser uma experiência feliz, mas pode ser uma tremenda dor de cabeça se não for realisticamente planejada.

 

Escolha a melhor forma de pagamento

Há quem fique feliz em conseguir comprar um carro sem entrada, sem análise de crédito ou com entrada baixa, mas isso pode ser uma tremenda fria. Primeiro porque, ao menor sinal de falta de pagamento, a financeira pode mandar apreender seu veículo, vendê-lo a preço de banana em um leilão e deixá-lo sem carro, mas com uma dívida daquelas. É imprescindível escolher a forma correta de pagamento, algo para que já criamos um bom guia. Consulte-o.

Opcionais

Essa é só para quem quer comprar um carro novo. Foi-se o tempo em que você perderia dinheiro se não optasse por um carro que já traz todos os itens de série que você quer. Isso porque os sistemas de precificação tradicionais só consideram o que um veículo realmente traz de série. A KBB consegue dizer quanto seu carro vale de acordo com os itens que você comprou a mais. Inclusive a pintura metálica. Se isso te dá carta branca, não se esqueça de que esses itens a mais, alguns deles talvez indispensáveis para seu gosto, também aumentam o preço do veículo. O valor de tabela é apenas referência. O real pode sair muito mais alto. Exemplo disso foi o lançamento recente do VW Virtus. Sua versão mais equipada, a Highline, é vendida a R$ 79.990. Completo, com pintura metálica e tudo a que tem direito, ele custa R$ 87.040. Uma diferença de R$ 7.050. Que você talvez não tenha se preparado para encarar na hora de ir à revenda fechar negócio. Fique atento!

Documentos

A primeira paulada ao comprar um carro, novo ou usado, é a despesa com documentação. Transferência, eventuais multas, frete, DPVAT e IPVA vão fazer aqueles tostões que você economizou para pagar o carro à vista ficarem faltando se você não tiver incluído tudo na conta. Se você reparar bem, verá que, na cotação de preços da KBB, há um item chamado "Preço KBB™ Chave-na-mão". Ele informa o preço do automóvel com todas essas despesas incluídas. Lembre-se sempre de consultar nossas cotações de preços e de prestar muita atenção a este item.

Seguro

Nestes tempos bicudos, contar com a sorte para nunca fazer seguro é uma aposta arriscadíssima. Há quem nunca tenha tido problemas e, na primeira bobeada, tem o carro roubado, batido ou inutilizado por qualquer razão. Não dá para deixar uma parte expressiva de seu patrimônio sem proteção. Por isso, é recomendável que você compre um veículo que não seja impossível de assegurar. Seja pela raridade ou pelo preço. Mais do que pesquisar as características técnicas de um veículo, pesquise quanto sairia seu seguro de acordo com seu perfil. E essa é uma parte importante. Um mesmo carro pode ter seguro baixo para alguém que mora em zona tranquila, é casado e já passou de uma certa idade e ser impossível de pagar para um jovem, recentemente habilitado, que mora em zona com mais roubos e furtos de carros.

Manutenção

Essa é especial para quem está de olho em um usado. Se você comprar um semino achando que é fácil dar um tapa e deixá-lo como novo, fique esperto. Pneus novos podem dar uma despesa considerável, assim como amortecedores, freios e tudo que for necessário trocar para deixar o veículo em boas condições de rodagem. Especialmente se o carro tiver componentes mais caros, como um SUV ou crossover. Importados também merecem atenção especial. Se você não conhecer importadores com peças mais em conta, pode ter de pagar quase o preço do carro em alguns componentes, como centrais eletrônicas ou mesmo parte de lataria. Conheça bem o carro que pretende comprar para não tomar sustos depois.

Abastecimento

Comprar aquele importado com motorzão pode ser uma delícia na primeira semana. Mas começará a ficar complicado depois que você visitar o posto o dobro de vezes que o visitaria se tivesse escolhido um modelo mais econômico. Nestes casos, o meio confortável de transporte pode acabar se tornando uma bela escultura para deixar na garagem e andar de final de semana. Quando sobrar dinheiro para abastecer. Antes de se decidir por veículo novo, confira o Conpet - Etiquetagem Veicular e prefira modelos com nota A e boas médias de consumo. É por isso que modelos híbridos e elétricos venderam 3 vezes mais em 2017 do que em 2016. Na cidade, eles são imbatíveis em custo de rodagem.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

  • Hatchback

  • Sedã

  • SUV/Crossover

  • Picape

  • SW/Perua

  • Van/Minivan

  • Cupê

  • Conversível

  • Hibrido/Elétrico

  • Luxo

PUBLICIDADE