PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Quais são os tipos de discos de freio que existem?

Os carros estão cada vez mais rápidos, por isso o papel dos discos de freio é mais importante do que nunca. Conheça todos os tipos em nossa reportagem!

Freios a disco são majoritários nas rodas dianteiras, mas ainda relativamente raros no eixo traseiro dos carros brasileiros. Em outros mercados do mundo, no entanto, os freios a tambor são cada vez mais raros. É uma evidência de que os fabricantes apostam no desenvolvimento de freios de disco cada vez mais eficazes. Estes são montados no cubo da roda. Sempre que pisamos no pedal do freio, o fluido circula pelos condutores e atua nas bombas. Com isso, a pressão hidráulica é convertida em força de tensão mecânica por meio de um ou vários pistões. Esta força pressiona as pastilhas dos freios contra o disco, o que retarda o movimento da roda. Quanto maior for a superfície dos discos, melhor será a frenagem e a capacidade de absorção de calor. O atrito entre a pastilha e o disco do freio pode gerar temperaturas superiores a 750 °C…

Discos de freio sólidos

Estes são os mais baratos do mercado e os que mais esquentam. São normalmente usados no eixo traseiro ou na dianteira em carros leves ou de concepção antiga. Projetos modernos não prescindem de discos ventilados.

Discos de freio ventilados

Discos ventilados se distinguem por "serem ocos" entre suas duas laterais para uma melhor circulação do ar e arrefecimento dos componentes do sistema de frenagem. Os discos ventilados mostram grande eficácia em utilização normal.

Discos de travão perfurados e ranhurados

Discos de freio perfurados e estriados

Fãs de um estilo de condução mais esportiva, com uso muito agressivo do sistema de frenagem, ou carros com essa proposta respectivamente exigem e trazem discos perfurados ou estriados. A colocação de discos perfurados (com furos distribuídos pela superfície) não só vai proporcionar um melhor arrefecimento das peças, como garante o escoamento de gases e partículas gerados pela fricção das pastilhas. Também são ligeiramente mais leves do que os discos convencionais, embora a superfície de contato seja igualmente mais reduzida, sendo menor o atrito total. São ótimos para o inverno: em situações de chuva, por exemplo, os discos perfurados permitem escoar a água mais rapidamente e têm maior resistência à fadiga quando os freios são fortemente solicitados.

Os discos estriados têm vantagens semelhantes aos perfurados, mas a superfície total não é tão reduzida e a sua duração também é maior. Os pequenos entalhes/ranhuras que possuem à superfície removem a sujidade que se acumula na superfície das pastilhas, estimando-se ganhos de cerca de 30% em eficácia em relação aos discos normais.

No mercado, é possível encontrar diversas combinações com características específicas, discos simultaneamente estriados e perfurados, várias medidas e furações.

Discos de freio metálicos, em cerâmica ou em carbono?

Embora o disco de freio mais comum seja fabricado em ferro, cobre ou zinco, o aço com um elevado teor em carbono e a cerâmica são utilizados no estágio de desenvolvimento mais avançado dos sistemas de frenagem.

Discos de travão em carbono

A cerâmica é sempre mais eficaz do que a liga metálica convencional, além de apresentar uma vida útil muito mais longa e uma redução de peso superior a 50%. Problema: discos com esse material são caros. Quase tanto quanto os discos de freio em carbono, instalados pela primeira vez num carro de série no Mclaren MP4. Este tipo de discos tem a particularidade de manter grandes níveis de eficácia a temperaturas muito elevadas. A desvantagem é a sua reduzida eficácia quando a temperatura é baixa. Em pista, depois de umas voltas de aquecimento, não haverá problema. Nas voltinhas de todos os dias, com frenagens "a frio", eles representam susto garantido!

Quanto custam e quanto duram os discos de freio?

Como em tudo, os preços dos discos de freio variam de acordo com o material de fabricação, o tipo, o tamanho e até o modelo específico a que se destinam. Convém sempre comprar os discos indicados pelos fabricantes, que têm preços entre R$ 250 a R$ 500. Nos casos de preparação, a brincadeira fica bem mais cara: há kits de freio aperfeiçoados em relação aos de série que podem facilmente passar dos R$ 5.000. Se você procura pela solução mais duradoura, considere discos de freio estriados, já que os freios perfurados tendem a durar menos tempo. 

Como qualquer componente, os discos de freio também vão perdendo as suas características. Alguns fabricantes aconselham a sua substituição a cada duas mudanças de pastilhas ou depois de percorridos 80 mil quilômetros. Mais uma vez, convém seguir as recomendações da engenharia das fábricas.

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro