PUBLICIDADE
HomeNotíciasAvaliações
Compartilhar

Avaliação KBB™ - Volkswagen Fox Connect 1.6

Preparando adeus do hatch, versão Connect aposta em conteúdo e preço para conquistar o consumidor

Com a chegada do novo Polo, o Fox perdeu seu espaço na gama da Volkswagen. Agora, quem detém o posto de "compacto premium" da marca é o hatch feito sobre a plataforma MQB, o qual já avaliamos no nosso canal no YouTube e traz um nível de tecnologia e segurança que deixa o Fox numa posição ultrapassada. Portanto, o modelo que vamos detalhar agora está vivendo seus últimos meses nas concessionárias como 0 km. Mas, antes de partir, ele quer conquistar quem está disposto a ignorar toda a inovação do Polo em favor de um custo-benefício bastante atraente no segmento.

Só há duas versões do Fox disponíveis no site da Volkswagen: a Extreme, mais cara, partindo de R$ 54.990, cujos diferenciais são o apelo mais aventureiro e alguns equipamentos extras (como a câmera de ré e as rodas de aro 16); e a Connect, que pode ser equipada com câmbio automatizado I-Motion (custando R$ 53.390) ou manual de 5 marchas (por R$ 49.990). A configuração de entrada foi a avaliada pela Kelley Blue Book Brasil. Como adiantamos, ela não economiza em itens de série e traz o reconhecido espaço de cabine e desempenho razoável do motor como principais atributos, deixando a simplicidade do acabamento e banco inteiriço atrás como seus reveses. 

Você gostará do Volkswagen Fox Connect 1.6 se...

Se você estiver procurando um veículo capaz de cumprir com suas necessidades diárias durante a semana e lazer aos finais de semana com viagens curtas, o Fox é uma ótima opção. Sua mecânica é confiável e a liquidez no mercado de seminovos é alta, com o benefício de uma desvalorização comedida. A estratégia de posicioná-lo a um preço muito competitivo e com uma lista de equipamentos mais interessante que a dos seus rivais na mesma faixa é outra vantagem do Fox Connect. 

Volkswagen Fox Connect 1.6

Talvez você não curta muito...

Optar pelo Fox, a essa altura do campeonato, é uma demonstração de desapego ao novo. Embora seja notável sua resiliência ao sobreviver 15 anos com uma única geração, não é possível mais esconder sua idade. O design meio hatch, meio monovolume destoa das tendências atuais dos compactos e a cabine, sobretudo na versão Connect, não faz questão nenhuma de criar um ambiente moderno. Tudo é de plástico rígido e de aspecto pobre. A ausência de bancos bipartidos atrás é uma economia que faz pouco sentido, ainda mais neste caso de despedida de um carro que se consagrou por seu interior versátil. 

O que tem de novo em 2017

Para marcar o encerramento da linha Fox em seu portfólio, a Volkswagen simplificou a gama do modelo em apenas duas versões, que já foram citadas no início deste texto. Nenhuma delas traz algo novo ao Fox, todos os seus equipamentos e motor já eram conhecidos do hatch. Elas apenas compilam tudo o que ele tinha em cinco ou seis versões nestas duas restantes. 

Dirigindo o Volkswagen Fox Connect 1.6 

O motor que equipa a versão Connect é o conhecido 1.6 8V da família EA111, que produz 104 cv e 15,6 kgfm de torque, quando abastecido com etanol (o 1.6 16V MSI de 120 cv que chegou a impulsionar a versão Cross Fox ficou restrito ao Polo, mas calibrado com 117 cv). Com exceção da Hyundai, que se destaca no quesito desempenho no segmento com seus motores 1.0 turbo e 1.6 de 128 cv para o HB20, o Fox Connect não fica muito atrás de seus outros rivais Chevrolet Onix 1.4 e Ford Ka 1.5, mas é fato que o hatch da Volkswagen exigirá certa paciência do motorista.  

Volkswagen Fox Connect 1.6

Não há muito o que reclamar do Fox para rodar na cidade. A relação de marchas mais curta entrega boa dose de agilidade para sair de semáforos ou desviar rapidamente de algum obstáculo na pista. É nas rodovias que o Fox revela sua limitação, especialmente quando você está embalado, mas é obrigado a tirar o pé do acelerador quando se depara com alguém mais lento à sua frente. Neste caso, ainda que o pico de torque chegue às 2.500 rpm, as retomadas do motor 1.6 para ultrapassagens (ou somente para recuperar a velocidade original) serão mais vagarosas. O condutor se vê forçado a trabalhar bastante com o câmbio para jogar as rotações do motor acima das quatro mil rotações, próximo das 5.250 rpm em que o propulsor atinge os 104 cv de potência. O Fox rende mais em altas rotações. Ao menos o ótimo trambulador, com engates curtos e precisos, ajuda a tornar esta tarefa menos incômoda. 

Essa característica de trabalhar melhor girando alto acaba prejudicando o consumo do hatch. Numa média ponderada entre cidade e rodovia, utilizando dados do Inmetro como comparação, o Fox é cerca de 5% menos econômico com etanol que seus concorrentes. Em média, ele roda 7,8 km/l na cidade e 9,0 km/l em rodovias, com etanol, e 11,6 km/l e 13,9 km/l, respectivamente, com gasolina. 

Um dos atributos mais apreciados pelos consumidores do Fox é a posição de dirigir, mais vertical e elevada, tal qual a dos SUVs compactos. Esta postura aumenta a sensação de segurança a bordo, uma vez que amplia o campo de visão do motorista. São elogiáveis também o nível de assistência da direção elétrica, muito confortável para manobras e com respostas aceitáveis em altas velocidades (quando fica levemente mais resistente) e o comportamento da suspensão. Embora o conjunto sob o assoalho não seja o mais macio do segmento, as batidas de final de curso não chegam a incomodar os ocupantes e a inclinação da carroceria não é tão acentuada, ainda que o Fox seja alto (logo, tenha um centro de gravidade elevado).

No geral, o Fox ainda é um carro bom para dirigir. O que evidencia seus defeitos é a evolução da própria Volkswagen, que trouxe outro padrão de dirigibilidade para o segmento com o Polo. 

Sacadas inteligentes

O Fox não traz um ou outro equipamento que, sozinho, o destacaria dos demais. O que vale ressaltar aqui é a estratégia da Volkswagen (comum na indústria) de recheá-lo com uma série de itens relevantes a um preço competitivo para atrair público a um veículo que está saindo de linha. Neste ponto, portanto, o Fox pode surgir como uma opção bastante atraente para quem prioriza o custo-benefício na hora da compra. 

Volkswagen Fox Connect 1.6

Detalhes do Volkswagen Fox Connect 1.6

Interior

Como dissemos no início, o Fox Connect não faz questão nenhuma de apelar à estética. O interior é integralmente racional, composto apenas de plástico duro. Lateral das portas, painel, volante e câmbio são todos revestidos do material mais rijo. Visualmente, o resultado não agrada tanto, mas ao menos os encaixes das peças é correto, com pouquíssimas rebarbas ou desalinhamentos. 

A central multimídia Composition Touch, com tela de 6,5 polegadas, ao menos dá um toque mais moderno ao habitáculo do Fox. O sistema é um dos mais intuitivos e fáceis de usar do mercado, com respostas imediatas (a exemplo do seu smartphone) e pode ter conectividade com Android Auto e Apple CarPlay. No quesito funcionalidade, o hatch poderia ter mais opções para abrigar objetos no centro, mas o espaço à frente do câmbio já ajuda a armazenar o celular se precisar usá-lo como GPS. 

Volkswagen Fox Connect 1.6

Com 2,46 m de distância entre-eixos, o espaço atrás é bem aproveitado, podendo acomodar adultos altos sem maiores problemas. O que incomoda é o encosto inteiriço dos bancos da segunda fileira, já que, com 270 litros de porta-malas, uma solução bipartida ajudaria a aproveitar melhor o bagageiro limitado. 

Exterior

A versão Connect traz algumas características exclusivas para identificá-la facilmente. A frente conta com uma grade pintada de preto brilhante e os faróis têm máscara escurecida. Na lateral, os estribos e o adesivo Connect entregam a versão. No geral, o Fox conta com o mesmo design que estreou no último facelift de 2014, sem nenhuma mudança de lá para cá. 

Equipamentos

A lista de equipamentos de série do Fox Connect tem como principais destaques: ar-condicionado, direção elétrica, trio elétrico, sensor de estacionamento traseiro, controlador de velocidade, volante com ajuste de altura e profundidade, banco com ajuste de altura, faróis de neblina com função cornering, rodas de liga leve de aro 15, central multimídia Composion Touch, fixação Isofix e cintos de três pontos atrás. 

Volkswagen Fox Connect 1.6

Sob o capô

O motor de quatro cilindros em linha 1.6 8V da família EA111 está presente no portfólio da Volkswagen desde 1996. Seu bloco é feito de ferro fundido, enquanto o cabeçote é de alumínio. São 104 cv a 5.250 rpm e 15,6 kgfm de torque a etanol e 101 cv e 15,4 kgfm de torque com gasolina. Nesta versão Connect avaliada, ele trabalha com o câmbio manual de 5 marchas. 

Sobre o preço

Partindo de R$ 49.990, o rival que mais ameaça o custo-benefício do Fox é o Ka, que tirou nota zero no Latin NCAP. A versão SE 1.5 do Ford custa R$ 49.680 e, em relação ao Fox, fica devendo central multimídia e retrovisores externos elétricos. Porém, a SE Plus, que é ligeiramente mais cara que o Fox, por R$ 51.180, conta com os dois itens que faltavam ao Ka SE mais banco traseiro bipartido. Outros dois hatches concorrentes do Fox, o Chevrolet Onix LT 1.4 (R$ 52.790) e o Hyundai HB20 1.0 Turbo (R$ 51.150) ficam devendo uma lista de equipamentos tão atraente quanto a do Fox, além de custarem um pouco mais também. 

Logo, fica evidente que a Volkswagen foi cirúrgica ao rechear o Fox a ponto de deixá-lo abaixo da faixa dos R$ 50.000, pois isto serve como um apelativo argumento à sua proposta. E, de fato, não há como ignorá-lo, uma vez que os três rivais citados até aqui não estão exatamente no auge de suas gerações (Chevrolet e Hyundai já devem mostrar novas gerações de seus compactos ano que vem). Vale a pena para quem quer barganhar na hora da compra e confiar na robustez mecânica da Volkswagen. Só fique de olho no seguro do Fox, que costuma ser salgado além da conta. 

Ficha técnica

Modelo Volkswagen Fox Connect 
Motor 1.6, 8V, dianteiro, transversal
Potência E: 104 cv | G: 101 cv a 5.250 rpm
Torque E: 15,6 kgfm | G: 15,4 kgfm a 2.500 rpm
Câmbio Manual, 5 marchas
Tração Dianteira
Freios (d/t) Discos / tambores
Suspensão (d/t) McPherson / eixo de torção
Dimensões (C/L/A) 3,87 m / 1,66 m / 1,55 m 
Entre-eixos 2,46 m
Peso 1.072 kg
Porta-malas 270 litros


 

Avaliação Profissional KBB
3 de 5
Compartilhar

Notícias Recentes

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

SUV/Crossover
Sedã
Picape
Hatchback
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro