PUBLICIDADE
HomeNotíciasAvaliações
Compartilhar

Avaliação KBB - Renault Logan 1.0 SCe Expression

Novo motor 1.0 SCe melhora desempenho e eficiência do Logan, que continua tendo o espaço como melhor argumento de venda

A Renault lançou a nova família de motores Smart Control Efficiency (SCe) no final do ano passado, nas versões 1.0 e 1.6, para quase todos os modelos de seu portfólio, exceto aqueles que usam motores maiores. Com foco em eficiência energética, os propulsores oferecem ganho em desempenho e redução de consumo de combustível. No caso do Logan 1.0, a melhora é sensível. O sedã ficou mais ágil para guiar na cidade. Essa evolução, aliada à já reconhecida oferta de espaço na cabine e no porta-malas (principal destaque do Logan), é imprescindível para o modelo conquistar posições melhores no segmento em que aparece apenas na 7ª colocação, bem distante dos líderes Chevrolet Prisma e Volkswagen Voyage.

Você gostará do Renault Logan 1.0 SCe Expression se...

O Renault Logan é um bom candidato para quem precisa aliar versatilidade à economia. O motor 1.0 tricilíndrico é avaliado com nota A em consumo no Inmetro, tanto no ranking geral quanto em sua categoria, e o modelo tem a maior distância entre-eixos (2,63 m) entre os principais sedãs pequenos. Ou seja, há ótima oferta de espaço na cabine, para até cinco ocupantes, 510 litros de volume no porta-malas e um motor com desempenho bastante razoável. 

Talvez você não curta muito...

Renault Logan 1.0 SCe Expression

Para quem valoriza refinamento, o Logan pode não ser a melhor pedida. Apesar de praticamente todos os sedãs de entrada exibirem acabamento de plástico, a Renault abusa do material rígido no habitáculo inteiro. Nem nas partes onde mais se encosta há um material diferenciado, como nos apoios das laterais das portas, o que prejudica a sensação de qualidade do carro. O Logan também poderia trazer mais ou melhores opções de funcionalidade no console central, para abrigar objetos, e bancos bipartidos. Embora o banco inteiriço traseiro seja outra característica inerente ao segmento de sedãs 1.0, um encosto bipartido reforçaria ainda mais a vantagem de ter um bagageiro avantajado como o que o Logan possui. 

O que tem de novo em 2017

A principal novidade do Renault Logan em 2017 é novo motor 1.0 tricilíndrico SCe. São 82 cv de potência e 10,5 kgfm de torque e potencial para ser até 19% mais econômico do que o antecessor, de acordo com a fabricante. Mais adiante entraremos em detalhes sobre ele, que traz tecnologias interessantes para o segmento de sedãs de entrada. A direção eletro-hidráulica é outro destaque do modelo para este ano. 

Dirigindo o Renault Logan 1.0 SCe Expression

Se você já dirigiu o Logan com o motor anterior, certamente vai notar a diferença quando tiver a oportunidade de guiá-lo com o novo 1.0 SCe. O comportamento do sedã entrega dose razoável de agilidade para situações urbanas, uma vez que 90% do torque já está disponível em baixas rotações. Ou seja, aquela sensação de esforço que o antigo motor transmitia para embalar o sedã se perde sensivelmente na linha 2017. O Logan também parece mais confortável para viajar a 120 km/h, apesar de não esconder as limitações de qualquer 1.0 no mercado, exigindo trabalhar bem o câmbio para manter o embalo em situações adversas. 

Renault Logan 1.0 SCe Expression

Sobre o câmbio, os engates são curtos, mas um tanto ásperos. Curioso é que, dependendo da posição em que a manopla está, a vibração do motor faz a peça tremer bastante, denunciando um aspecto que poderia ter recebido mais atenção da Renault. Como a marca se preocupa bastante em conter o consumo do Logan, o modelo conta com um indicador de trocas de marcha no conta-giros. Ele sugere sempre ao motorista deixar as rotações do motor sempre ao redor das 2.000 rpm (faixa dos 90% do torque). Logo, você trabalhará bastante com o câmbio se quiser acumular "pontos de condução Eco". Explico.

Quando o Logan é equipado com o opcional Techno Pack, que inclui a central Media NAV, o sistema traz um menu focado no estilo de condução do motorista. O Eco-coaching (como se chama o recurso) classifica por meio de estrelas a habilidade do condutor em poupar combustível. Além de seguir as indicações de troca de marchas, conta pontos na "condução Eco" a pressão do pedal do acelerador. Quanto mais suave, melhor para economizar. Segundo o Inmetro, o Logan 1.0 SCe obtém médias de 9,4 km/l na cidade e 10,2 km/l em rodovias, com etanol, e 14 km/l na cidade e 14,9 km/l em rodovias, com gasolina, rendendo-lhe nota A em consumo nos rankings do órgão. 

Sim, a eletrônica é inteligente o suficiente para adaptar as indicações de marcha a diferentes situações, como ladeiras em que se exige mais do motor. Mesmo assim, dirigir seguindo à risca o que o carro pede compromete o prazer ao guiar, ainda que renda alguns quilômetros a mais de autonomia. Boa parte da agilidade citada do modelo acaba sendo subaproveitada. Em nossa avaliação, guiamos por mais de 200 km – ora acatando as sugestões do indicador, ora exigindo um pouco mais do motor – e obtivemos média de 8,2 km/l, com etanol, de acordo com o computador de bordo do veículo. 

Uma das características positivas do Logan é a capacidade da suspensão em absorver os obstáculos da via. É raro ouvir batidas secas do conjunto no assoalho. O sedã não é o mais "assentado" no chão do segmento, mas de maneira nenhuma transmite insegurança quanto à estabilidade em condições normais de condução. Contribui para uma sensação mais confiante ao volante o nível de assistência moderado da direção em velocidades mais altas. O sistema eletro-hidráulico não é tão leve para manobras na cidade em comparação com o Hyundai HB20S, por exemplo, mas é mais firme em rodovias, entregando mais controle sobre o carro. 

Uma das facilidades que a versão Expression do Logan oferece ao consumidor é o ajuste de altura do banco do motorista. O acionamento por alavanca eleva o banco inteiro e, aliado ao ajuste de altura da coluna de direção, ajuda a encontrar a posição ideal de dirigir. Neste quesito, há uma ressalva apenas às abas laterais do encosto, que poderiam "abraçar" mais o motorista.

Renault Logan 1.0 SCe Expression

Sacadas inteligentes

Se o foco dos motores SCe é a eficiência energética, nada mais coerente do que haver um indicador de mudança de marchas para ajudar o motorista a aproveitar ao máximo a economia de combustível. O recurso é de série na versão Expression, mas é aliado à central Media NAV que ele se torna ainda mais eficaz, uma vez que o sistema traz o menu "Eco-coaching", que explicamos acima e que avalia o estilo de condução do motorista, sempre priorizando o menor consumo possível. 

Detalhes do Renault Logan 1.0 SCe Expression

Interior

Como mencionado no início, a cabine do Logan é bem simples. O acabamento é integralmente de plástico rígido e os comandos do ar-condicionado já estão bastante datados. O console central possui dois porta-copos à frente do câmbio e dois compartimentos pequenos (um à frente dos porta-copos e outro abaixo do freio de mão) que têm funcionalidade reduzida, já que é difícil acomodar celular, carteira ou qualquer outro objeto um pouco maior ali. A superfície lisa do acabamento também prejudica moedas e chaves, pois os objetos tendem a se deslocar dependendo do movimento do carro. Se falta refinamento, sobra espaço, como já destacamos.

Renault Logan 1.0 SCe Expression

Exterior

Não há nenhuma novidade visual marcante na linha 2017 do Logan. O design é o mesmo desde a chegada da geração atual do sedã, no final de 2013. Há a expectativa de que ele seja renovado em 2018.

Equipamentos

A versão Expression conta com um conjunto de equipamentos interessante de série. O rádio 2DIN é um destaque, já que a maioria dos sedãs 1.0 oferecem o sistema de áudio como opcional. Os principais itens do Logan são: direção eletro-hidráulica, ar-condicionado, computador de bordo com consumo instantâneo, banco do motorista com regulagem de altura, coluna de direção com regulagem de altura, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas e rádio. 

Sob o capô

O motor 1.0 Smart Control Efficiency (SCe) que equipa o Logan Expression avaliado foi desenvolvido pela Renault Tecnologia Américas (RTA). Feito de alumínio, ele é 20 kg mais leve que o antecessor e possui um cilindro a menos (são três, portanto). Cada cilindro conta com quatro válvulas (12V) e duplo comando, variável tanto na admissão quanto no escape. O comando do motor é feito por corrente e o coletor de escapamento é integrado ao cabeçote, tornando-o mais compacto. 

Renault Logan 1.0 SCe Expression

Entre as principais características do motor estão a bomba de óleo com vazão variável e o gerenciamento de energia ESM. Ambos são recursos que visam a economia de combústivel, sendo o segundo um reaproveitamento de energia quando o motor está engatado, mas sem acelerar, que recarrega o alternador e, assim, poupa combustível quando a bateria é exigida. Outras soluções, como polias, tuchos e anéis dos pistões com revestimento "Diamond Like Carbon", contribuem para diminuir o atrito interno e, consequentemente, o consumo de combustível. 

Quanto ao desempenho, são 82 cv de potência a 6.300 rpm (79 cv a gasolina) e 10,5 kgfm de torque a 3.500 rpm (10,2 kgfm a gasolina).

Sobre o preço

Partindo de R$ 48.350, a versão intermediária do Renault Logan 1.0 SCe tem preço competitivo no segmento. Ocupando a 7ª posição no ranking da categoria, segundo a Fenabrave, as quase 17 mil unidades vendidas do modelo até setembro o deixam distante dos mais de 44 mil emplacamentos do líder Chevrolet Prisma. 

Os grandes rivais do Logan, contudo, são Ford Ka+ SE Plus (R$ 49.890) e Nissan Versa Conforto (R$ 48.490) – para nos atermos somente aos rivais 1.0. O Renault fica à frente do Versa nas vendas, com quem compartilha boa parte dos vícios e virtudes, como a simplicidade no acabamento e o espaço amplo, mas perde para o Ka+ que, embora também seja simplório, é mais polivante. O concorrente da Ford tem um desempenho um pouco melhor e consegue ser ligeiramente mais econômico e mais bem equipado, sem ficar muito atrás em oferta de espaço.

No final das contas, o que vai fazer o consumidor decidir entre o Logan e os outros serão suas prioridades e gostos. Habilidade de barganha pode ajudar a garantir condições melhores na aquisição, uma vez que estes três modelos são equivalentes em pontos positivos e negativos. A balança tende a pender para o Renault entre aqueles que priorizam espaço interno. 

FICHA TÉCNICA

Modelo Renault Logan 1.0 SCe Expression
Motor 1.0, 12V, 3 cilindros, dianteiro, transversal
Potência E: 82 cv a 6.300 rpm | G: 79 cv a 6.300 rpm
Torque E: 10,5 kgfm a 3.500 rpm | G: 10,2 kgfm a 3.500 rpm
Câmbio Manual, 5 marchas
Tração Dianteira
Freios (d/t) Discos/tambor
Suspensão (d/t) McPherson/eixo de torção
Dimensões (C/L/A) 4,35 m / 1,73 m / 1,53 m
Entre-eixos 2,63 m
Peso 1.019 kg
Porta-malas 510 litros
Avaliação Profissional KBB
3 de 5
Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro