PUBLICIDADE
HomeNotíciasDicas
Compartilhar

Serviço AutoPapo - Uber aceita cachorro? E gato? Veja como transportar pets

Maioria dos apps tem política específica para animaizinhos, mas realidade não nos parece tão simples; Cesvi dá dicas para garantir segurança dos bichos

Eu sei, você prefere andar com o seu animal a pé. Em distâncias mais longas, ele está acostumado com o seu carro, onde pode deitar como bem entender… Também entendo. Mas, como fazer em emergências? Será que Uber aceita cachorro? Ou gatos… Procuramos a resposta e aproveitamos para explicar qual a melhor maneira de transportar nossos animais de estimação. Confira abaixo ou leia diretamente no Autopapo. 

Animais de estimação no Uber

De acordo com as leis federais, os animais de serviço – como cães guia – podem acompanhar os passageiros em qualquer viagem. Para você que planeja viajar com um pet que não seja de serviço, a Uber recomenda o contato prévio com o motorista: “antes da viagem, diga que está com um cachorro”.

Para conversar com o motorista, basta enviar uma mensagem de texto pelo aplicativo ou pegar o número de telefone do profissional que está indo até você.

empresa pede ainda que você “ajude os motoristas parceiros a manter os veículos limpos para os demais passageiros, trazendo uma caixa de transporte ou um cobertor para reduzir o risco de danos ou sujeira”. Por fim, afirma que alguns condutores podem ter um cobertor no porta-malas.

Apesar da política inclusiva descrita no site da Uber, tentei por algumas vezes pedir um carro para levar meu Golden Retriver ao veterinário e não obtive sucesso. Dois motoristas cancelaram a viagem sem nem perguntar o tamanho do meu animal e um questionou a raça. Depois, afirmou que só aceitaria se ele estivesse em uma caixa de transporte.

As tentativas foram feitas em Belo Horizonte, no dia 09 de fevereiro. Aproveito para perguntar: já teve alguma experiência com cachorro em Uber? Onde? Como foi?

99 Pop

O aplicativo 99Pop não tem uma política específica sobre o assunto.

Petdriver

Nas capitais Rio de Janeiro e São Paulo, os pets têm uma alternativa à Uber e à Cabify. É que nas duas cidades o app Petdriver transporta animais de estimação e seus donos. Mas, é importante ressaltar que a atuação do serviço é limitada.

Confira, na lista disponibilizada pelo aplicativo, quais são os bairros que o Petdriver atende.

A política de transporte do app é a seguinte:

  • Os cães transportados no banco traseiro, presos por peitorais ao sistema de segurança;
  • Os gatos são transportados em suas próprias caixas de transporte presas ao sistema de segurança;
  • é feita higienização do veículo ao fim de cada viagem;
  • o pagamento pode ser realizado por cartão de crédito; e
  • os motoristas são credenciados e avaliados pelos clientes.

O que diz a lei sobre cachorros em carros

Código de Trânsito Brasileiro (CTB) faz algumas proibições com relação ao transporte de pets. Uma delas, no artigo 252, prevê infração média para quem “dirigir o veículo transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas”.

Já o artigo 235 prevê infração grave para quem “conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados”. Por isso, nunca transporte cachorros em carrocerias ou deixe que eles coloquem a cabeça para fora da janela.

Como transportar animais de estimação

Especialistas do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) afirmam que o cinto de segurança normal não deve ser usado em animais, pois foi desenhado para pessoas. Em caso de acidentes ou movimentos bruscos, o equipamento de segurança pode machucar os cachorros e gatos.

“O transporte correto e seguro do pet deve ser preferencialmente realizado com bolsas, caixas plásticas de transportes (de preferência forradas com nylon ou tecido) ou com os cintos de segurança próprios – indicados de acordo com o porte do bichinho de estimação”, detalha Alessandro Rubio, coordenador técnico do Cesvi/Mapfre.

Sobre o cinto de segurança para cachorro ou gato, há algumas recomendações: é preciso conferir se ele é feito de material semelhante ao cinto de segurança comum e se tem garras para se conectar aos encaixes do Isofix ou do próprio cinto.

Com o cinto de segurança para animais de estimação, o pet fica bem preso e não corre o risco de ser lançado em uma colisão – o que poderia causar danos também a quem ele atingisse. Outra vantagem é que o equipamento incapacita o animal de se deslocar dentro do carro, atrapalhando o motorista.

Ainda de acordo com o Centro, os animais de estimação devem ser transportados no banco traseiro.

Por fim, o Cesvi afirma que se o cachorro for grande e o dono tiver um SUV ou um hatch, o ideal é que se faça uso do porta-malas, retirando, claro, a tampa interna. No espaço, pode ser colocada uma caixa de transporte, que deve ser bem fixada. Assim, em caso de colisão, a caixa não terá deslocamento.

Cachorro dentro de caixa no porta-malas de um SUV

Compartilhar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Saiba agora quanto vale seu carro novo ou usado

Hatchback
Sedã
Picape
SUV/Crossover
SW/Perua
Van/Minivan
Cupê
Conversível
Luxo
Hibrido/Elétrico
PUBLICIDADE

Encontre o Preço do Seu Carro